Jubas da Ca: Giovanna Nerissa

13:54:00


Olá lindas e lindos, hoje é o nosso primeiro post da série: Jubas da Ca, onde vocês vão  poder compartilhar as sua histórias. Hoje o espaço é da Giovanna, e espero que vocês se identifiquem como eu me identifiquei.  




“Olá, meu nome é Giovanna Nerissa, tenho 18 anos, mas todos me chamam de Gih.


Eu sempre fui uma menina tímida e com uma autoestima muito baixa. Quando eu era criança eu tinha o cabelo 3c/4a, mas até meus 5 anos eu não me importava e nem ligava para o cabelo, mas eu sofria muito na hora de arrumar, e como solto não dava para usar, eu vivi a infância toda de trancinhas.

Assim que fui crescendo, eu queria diminuir o volume do meu cabelo para poder arrumá-lo sozinha. Eu contei para a minha mãe e começamos a fazer relaxamentos. Na primeira vez que eu fiz e escovei o cabelo, fui para a escola toda feliz e balançando o cabelo para que todos olhassem.

Eu não me lembro de sofrer preconceito NESSA ÉPOCA por causa do meu cabelo, mas por causa dos olhos sim: por serem grandes.

Fiz vários relaxamentos e depois de um tempo ganhei uma chapinha e um secador de aniversário. Eu não saia mais de casa sem escovar o cabelo e como o volume não abaixava, eu colocava uma tiara quase que na testa para poder disfarçar o volume.

Fiz minha primeira progressiva, mas não adiantou em nada, não durou nem um mês. Depois de um ano fiz a segunda, aí sim deu o resultado perfeito que eu queria. Era tão bom poder se arrumar e se sentir bonita. Só que depois de um tempo, eu já não estava mais contente com aquele cabelo baixinho, então pedi minha mãe um babyliss, e todos os dias eu fazia cachos para dar volume, mas nunca o usava natural.



No ano de 2015 eu comecei a ter certa paixão por cabelos cacheados, mas achei que meu cabelo não teria mais cachos.

Na época eu namorava e sempre via minha cunhada com os cachos perfeitos, e queria o meu igual. Foi quando eu assisti a um vídeo falando sobre gelatina incolor que deixava os cabelos mais definidos e fui louca fazer para ter meus cachos, e tive uma grande decepção. Quando eu lavei o meu cabelo e o deixei natural, o meu namorado da época não aceitava. E o meu cabelo estava com a metade liso. Eu me senti horrível e escovei. Eu queria os meus cachos e vivia vendo vídeos de cachos, e foi quando eu descobri a tal “transição capilar”.


Em 2016, chegou um dia que eu fui lavar o cabelo e vi um cachinho lindo e fofo e me deixou muito feliz.

Eu vivia tentando voltar aos cachos e desistia por causa das pontas lisas, que já eram poucas.
Até que liguei o “Fod*-se” e fui para a escola com o cabelo natural e me surpreendi com os elogios e olhares. Aquilo me deixou feliz e eu continuei com o cabelo assim.

O tempo passou e eu já não aquentava as pontas lisas, então peguei uma tesoura e cortei. Os meus cachos foram voltando mais rápido do que imaginei e as pessoas apoiavam. Também tinham pessoas pra falar mal e colocar defeito, isso quase me fez desistir diversas vezes. Trabalhei minha autoestima e faço isso até hoje.


Sofri preconceitos e alguns ataques pela internet, mas tudo isso serviu para a minha mudança que não foi só a capilar. Mudei e hoje sou alguém completamente diferente.


Hoje posso dizer que: sou eu de verdade. Completamente eu, de corpo e alma.

Hoje, um ano depois que comecei a transição, eu sou outra mulher, mas feliz comigo do jeito que eu sou, e eu me amo.
“Uma mulher negra, feliz com a sua raça, história dos meus descendentes: meu corpo, meu cabelo.”

Gio



Você também quer aparecer aqui e contar a sua história? É só escrever tudo ( quando era criança, o que te levou a fazer alisamentos, preconceito, aceitação, big chop, transição), anexar fotos de todas essas fases e enviar para o email: carlinha2011luck@gmail.com

Viu como é fácil... Seja também inspiração para outras meninas e meninos.

Espero ansiosa a sua história

Beijos, Carla.









You Might Also Like

0 comentários

Follow by Email

Subscribe